Pesquisar este blog

25.4.17

Um textículo: "lúcia, a lúcida"


Atravessou a vida como um carro na contramão. Nunca capotou em linha reta nem bateu em farol vermelho. Depois da longa viagem, estacionou na porta de casa.
 

24.4.17

Um textículo: "estudos de figuras de linguagem"



moro
em frente ao lava-rápido
veículos sujos entram
saem limpos
- portas reliuzentes - 
as sujeiras, no porta-luvas
no porta-malas
ao volante

moro

um dia mudo

23.4.17

Um textículo: "a lenta agonia"


Morrendo tão aos poucos, mas tão aos poucos, que quando deu o suspiro final, não sabia mais o que poderia ter sido sua vida.

22.4.17

Um textículo: "legendas sem título"


quando um poema vem me visitar
nunca sei como me comportar
ofereço um café ou chá?
sirvo bolachas?
falo do tempo?
faço sala?
ou deixo ele a sós?

poemas entram sem bater
saem sem pedir licença
não são educados

18.4.17

Um textículo: "guerra e paz"


dentro do carma cabe uma arma
apontada para si: oro e choro: imploro
...
toda lágrima é uma rima que irriga 
um rio imaginário que abriga a alma 
e a veste de calma:
paz,  se fica